dança

Curso de férias Repertórios Coreográficos

Nesse mês de janeiro, fiz o primeiro curso de férias da minha vida, criado pela Liliane de Grammont, Vivian Navega e Carolina Amares com o apoio da Tentáculo. Em novembro de 2018 eu vi sobre o curso e fiquei com muita vontade de ir. A descrição dizia que seria uma vivência de uma semana para experimentar como é “estar em uma companhia”, ou seja, teríamos aulas de ballet e contemporâneo e em seguida, aprenderíamos repertórios coreográficos do espetáculo Onírico, coreografado pela Lili.

Onírico foi o primeiro espetáculo de contemporâneo que eu assisti, já fazia uns meses que eu havia começado a ter aulas de contemporâneo e lembro de sair do teatro encantada, pois até então só tinha visto um espetáculo ao vivo e era de ballet clássico, então os corpos dos bailarinos e as coreografias eram diferentes do que eu estava “acostumada” a ver.

O primeiro dia foi muito legal. O curso ocorreu na casa da Lili e era um espaço agradável que fazia a gente se sentir de fato “em casa”. Tivemos ballet clássico com a Danyla Bezerra e lembro de terminar a aula já com algumas dorezinhas, mas né, eram férias e estava há um mês sem fazer aula haha.

Após o intervalo, fomos divididos em grupos para aprender células coreográficas e a minha primeira foi logo de cara “Kill Bill”. A coreografia acontece em cima de uma narração onde a personagem teve a sua mala extraviada e estava muito irritada a ponto de começar uma chacina até se ver na roupa do próprio Kill Bill. Os passos eram bem intensos e precisos, com uma energia “explosiva”.

Os dias seguintes foram sendo intercalados, um dia contemporâneo com a Liliane e no outro ballet clássico com a Danyla, para mostrar mesmo a “vivência” de uma companhia.

Por ser um grupo intermediário, haviam desde pessoas que nunca tinham tido contato com contemporâneo (mas já com o ballet), até os que já tinham uma experiência e um contato maior. Foi muito interessante ver a evolução e o processo do primeiro dia das pessoas que nunca tinham feito contemporâneo até o último dia do curso, que ocorreu a mostra.

Fui incluída também em uma parte do repertório que era de “contato improvisação”, onde fiz com a Débora. A ideia eram formas e laços a partir do contato com as mãos e foi uma experiência muito legal ter um momento de improviso em dupla.

No penúltimo dia começamos a aprender uma célula chamada “maestro”. Como o espetáculo fala sobre sonho, esse é o momento em que fala sobre “sonhar em ser uma estrela de Hollywood” (quem nunca??) e nossos corpos eram regidos por um maestro que ficava a frente, até ele perceber que não estava controlando nada e sim sendo controlado pela sombra. Durante essa cena, eu fiz o papel da menina que vai até o maestro e pede ”só mais 5 minutinhos” (claramente eu todo dia de manhã antes de acordar) e no final do dia tomamos um belo banho de mangueira para comemorar o “fim do curso”, já que no dia seguinte seria a mostra.

A Lili fez um trabalho incrível com os alunos, por ter sido apenas uma semana, o processo ocorreu de forma bem rápida e intensa. Foi uma experiência incrível e o trabalho foi realizado com muito cuidado e preocupação.

Uma das sessões apresentadas no último dia foi especial para convidados da equipe e foi surreal dançar para tanta gente que eu admiro na dança.

Termino dizendo obrigada! Obrigada á toda equipe pela ideia do curso, á todos os bailarinos da Tentáculo que nos ajudaram nas coreografias e tiveram paciência de nos ensinar, por todo carinho e por ter nos proporcionado uma experiência tão grandiosa como essa!

Que venham mais edições!

Créditos às fotos: @franksotam

You may also like...

2 Comments

  1. Parabéns Mila Amaral, além de muito completa sua colocação, sua redação está perfeita, com clareza de raciocínio e sequencia lógica dos fatos.

    1. Obrigada!!! ♥️

Deixe uma resposta para Camila Amaral Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *